Progredindo  na  Meditação   (Satisfação  – Parte 2)

 Ensinamentos  durante  Workshop  em  Pen  Rhiw  (Reino  Unido),  11-­13  Abril  2003  pelo  Satguru  Shree Shivkrupanand  Swami

 A  última  vez  que  estive  em  Londres,  Guruma  (esposa  do  Swamiji)  estava  dando  uma  palestra  na  Índia.   Vou  lhes  contar  uma  história,  que  ela  contou  naquela  palestra.  A  história  era  de  uma  senhora  russa.  Esta   senhora  russa  tornou-­se  vencedora  de  uma  medalha  porque  ela  estava  sempre  feliz  (satisfeita).  O   jornalista  que  escreveu  a  história  era  uma  pessoa  triste.  O  jornalista  foi  entrevistar  a  vencedora  da   medalha,  e  disse  a  ela:  ‘Como  você  pode afirmar  ser  feliz,  você  parece  tão  triste.  ”

 Ela disse:  ‘Após  meu  nascimento,  minha  mãe  morreu’. Quando  eu  tinha  idade  suficiente  para  entender,   eu  escrevi  no  meu  diário:  ‘embora  eu  tenha  perdido  a  minha  mãe,  eu  ainda  tenho  o  meu  pai.  ‘Então,   depois  disso,  meu  pai  morreu.  Depois  que  meu  pai  morreu,  eu  escrevi  ‘Embora  meu  pai  tenha  morrido,  meu  marido  ainda  está  aqui.  ‘Então,  depois  de  o  marido  morrer,  ela  escreveu:  ‘apesar  de  eu  ter  perdido  o   meu  marido,  eu  ainda  tenho  o  meu  filho.  ‘Depois  que  o  filho  morreu,  ela  escreveu  ‘pelo  menos  minha   filha  está  aqui  ‘.  Depois  que  a  filha  morreu,  ela  escreveu:  Embora  a  minha  filha  não  esteja  mais  aqui,  eu   ainda  estou  aqui.’      

  A  história  mostra  que  se  você  está  realmente  disposto  a  manter  uma  atitude  positiva,  é  possível.

 Em  suma  quero  dizer  que,  se  o  ponto  de  vista  da  sua  vida  é  positivo,  então  você  pode  ser  feliz  em  sua  vida   onde  quer  que  esteja,  seja  qual  for  a  sua  situação.  Se  você  tem  uma  natureza  para  ser  triste,  você  vai  ficar   triste  em  qualquer  lugar  na  vida.  Estou  falando  sobre  satisfação.  É  tão  necessário  porque  a  insatisfação   nunca  lhe  permitirá  progredir  e  você  não  vai  se  conectar  a  Deus  em  nenhum  momento.

 Deixe-­me  dar  um  exemplo.  Imagine  que  você  não  tem  um  carro,  e  você  tem  a  intenção  séria  de  comprar   um.  O  tempo  todo  você  está  pensando  em  um  carro  e  toda  hora  você  está  dizendo  carro,  carro,  e   carro.  Nos  últimos  três  anos,  você  está  pensando  em  comprar  um  carro.  Depois,  passados  três  anos,  você   acaba  comprando  um  carro.  Após  estes  três  anos,  quando  você  comprou  o  seu  carro,  você  tem  alguns   problemas  também.  Mas  o  problema  é  que,  nesses  três  longos  anos,  insatisfação  foi  criada  dentro de você.

 Então,  depois  de  ter  comprado  este  carro,  você  estará  pensando  após  um  mês,  eu  deveria  comprar  outro   novo  modelo.  A  insatisfação,  uma  vez  criada,  é  muito  difícil  de  se  livrar.  Portanto,  este  carro  pode  ser  uma   frustração.  Você  pensou  nisso  continuamente  nos  últimos  três  anos,  e  você  vai  se  sentir  frustrado  quando   seu  vizinho  comprar  um  carro  melhor  do  que  o  seu.  Quando  você  olha  para  o  carro  do  seu  vizinho,  você   vai  sentir  que  seu  carro  não  é  tão  bom,  e  mesmo  você  tendo  desejado  isso  por  três  anos,  você  não  vai  se   contentar  com  ele.

 Se  você  quer  analisar  se  você  está  ou  não  satisfeito  você  pode  fazê-­lo  desta  forma.  Se  você  se  sentir  feliz   na  felicidade  dos  outros,  então  você  vai  saber  que  a  satisfação  começou  em  você.  Por  exemplo,  você  vai  à   casa  de  alguém  e  você  vê  que  eles  têm  um  novo  tapete.  Se  a  sua  reação  é  apenas  ‘mas  que  belo   tapete’  isso  significa  que  você  está  satisfeito  dentro  de  si  mesmo.  Uma  vez  que  você  tentar  sentir-­se  feliz   por  outras  pessoas,  então  isso  vai  se  tornar  sua  natureza.

 Esta  é  a  minha  experiência  de  vida.  Qualquer  que  seja  o  conhecimento  e  experiência  que  ganhei  nos   Himalaias  primeiro  eu  vim  e  eu  dei  esse  conhecimento  para  Guruma.  Eu  disse  a  Guruma,  eu  ganhei  esse   conhecimento  para  compartilhar  com  os  outros.  Se  você  me  apoiar,  então  eu  vou  para  a  sociedade.   Depois   disso  eu  comecei  a  dar  esse  conhecimento  para  outras  pessoas,  e  quando  elas  estavam  se   sentindo  felizes,  eu  estava  me  sentindo  extremamente  feliz.

 Primeiro  começou  assim.  Eu  costumava  me  sentir  feliz  quando  os  outros  estavam  felizes,  e,  em  seguida,   tornou-­‐se  a  minha  natureza  ser  feliz  na  felicidade  dos  outros.  Então  é  por  isso  que  eu  sou  feliz  hoje.

Portanto,  a  sua  direção  tem  de  mudar,  você  tem  que  ser  feliz  na  felicidade  dos  outros.  Isso  só  é  possível   quando  você  se  sentir  satisfeito  e,  em  seguida,  o  seu  chakra  do  Plexo  Solar  (Nabhi)  será   despertado/acordado.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s