A história de um ladrão chamado Raghu

Havia uma pequena aldeia chamada Belapur onde viveu um ladrão chamado Raghu. Ele roubava as pessoas das cidades vizinhas e, em seguida, voltava e permanecia tranquilo em sua aldeia por um tempo. Esse ladrão Raghu nunca havia sido capturado e tinha muito orgulho da sua habilidade. Nessa mesma aldeia um Swamiji tinha um Ashram onde ele costumava praticar meditação com os seus discípulos.

Uma vez, quando SwamijiI partiu em uma peregrinação a Badrinath com os seus discípulos , este ladrão Raghu também se juntou ao grupo. Ele se juntou ao grupo com a clara intenção de roubar os peregrinos. Todas as noites o grupo parava em algum lugar para dormir e descansar, e durante o dia eles seguiam em frente. E todas as noites, Raghu chor (o ladrão) examinava a bolsa de Swamiji a procura de seus pertences. Mas, apesar de tentar todas as noites, ele nunca encontrou qualquer riqueza. Então ele pensou consigo mesmo – talvez Swamiji deu o dinheiro para algum discípulo guardar. E Raghu chor começou a verificar a bolsa de cada discípulo todas as noites. Mas, mesmo assim, ele ficou desapontado. Ele não conseguia encontrar o dinheiro em  nenhum lugar. Ele não conseguiu encontrar a riqueza, mas a proximidade diária, e companhia de pessoas boas e de sua influência, teve um efeito positivo sobre ele. A boa coletividade começou a afeta-lo. E, enquanto OS peregrinos se dirigiam lentamente em direção Badrinath, a arrogância do nosso Raghu chor quebrou e se desintegrou. Ele pensou consigo mesmo: “Até hoje eu me considerava um grande ladrão. Até hoje eu nunca havia sido mal sucedido em minha vida, eu nunca experimentei a derrota. Como é que eu não consegui localizar a riqueza aqui? “Como eles estavam se aproximando de Badrinath, ocorreu-lhe que ele poderia perguntar ao Swamiji onde tinha escondido a riqueza. Ele decidiu contar-lhe a verdade e tentar obter a resposta. Portanto ele estava inspirado a dizer a verdade depois de chegar lá.

Certa manhã, quando Swamiji estava sentado com seus discípulos, Raghu chor foi e sentou-se ao lado deles e começou a chorar desesperadamente. Ele disse: “Swamiji, eu sou um ladrão.” Swamiji respondeu: “Eu estou ciente disso.” “E, apesar disso você permitiu que me juntasse a você?” Swamiji respondeu: “Nenhuma pessoa é um ladrão de nascença. Ele se torna um ladrão por causa das influências ao seu redor. Quando ele entra em contato com as pessoas boas, ele desiste de seus caminhos ladrões. Eu o mantive comigo devido a estes pensamentos positivos.” “Swamiji, eu tinha muito orgulho da minha habilidade com roubo, eu fiquei muito vaidoso com isso, porque eu nunca tinha falhado. Mas hoje eu fui derrotado, eu não consegui localizar a riqueza. Hoje eu procuro o seu refúgio. Por favor, diga-me onde você escondeu a riqueza. ”

Swamiji respondeu: “Eu definitivamente irei lhe dizer, mas com uma condição – eu irei revelar a você onde a riqueza está escondida, e depois disso você tem que prometer que deixará de roubar a partir de hoje. Faça um voto e pare de roubar. Se você concordar com isso, então eu vou lhe dizer onde a riqueza está escondida. “O ladrão aceitou essa condição. Raghu chor pensou consigo mesmo: “Eu perdi qualquer maneira, deixe-me pelo menos saber onde ela está escondida.” Ele era tão curioso, que ele disse à Swamiji, “Ok, se você me disser onde está escondida, eu vou parar de roubar a partir de hoje. “Swamiji, então, lhe disse” Ok, então olhe para a sua própria bolsa. O dinheiro ficava guardado todas as noites em sua própria bolsa. E você verificou a bolsa de todos os outros, exceto a sua própria. É por isso que você nunca poderia encontrá-lo.” Assim que o ladrão olhou em sua bolsa, viu o dinheiro.

Esta não é apenas uma simples história. A nossa busca pela espiritualidade é exatamente como essa história, e a nossa condição também é semelhante ao de Raghu Chor. Continuamos a procura de Deus em todo o mundo, nós visitamos templos, visitamos igrejas, vamos para lugares sagrados e conhecemos pessoas santas. Vamos ate Satgurus e visitamos eremitérios e ashrams. Nós procuramos Deus em todos os lugares. Procuramos em todos os lugares, exceto dentro de nós mesmos. Nós não olhamos dentro de nós mesmos, e é necessário olhar para dentro. Se você olhar para dentro, você vai perceber que você tem procurado fora em vão. Paramatma (Deus) está bem aqui, dentro de você. Nenhum Deus, que está fora pode ser tão próximo de você como o Paramatma dentro de você. Mas você precisa de um médium para lhe dizer, para alertá-lo sobre o Deus dentro de você. E a nossa busca é incompleta até encontrarmos tal médium.”

-Satguru Shivkrupanand Swamiji

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s